segunda-feira, 9 de outubro de 2017

LITERATURA OU REALIDADE - Edição 2017/2018 da Comunidade de Leitores das BML

As obras literárias são muitas vezes um espelho da realidade ou realidades que vivemos. "A realidade do mundo apresenta-se aos nossos olhos múltipla, espinhosa, com camadas densamente sobrepostas. Como uma alcachofra" [Italo Calvino].
Os livros que lhe propomos para  esta edição têm múltiplas páginas repletas de vida na literatura.

Esteja atento(a) ao programa porque tem outras novidades. Vamos partilhar leituras, mas mais do que isso, vamos ao teatro. Inscreva-se!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

FotoLeituras de Verão

Caro leitor(a)
Verão é tempo de férias, de descanso e claro de muitas leituras. Desafio-o a partilhar uma foto de férias. Única condição: o livro. Que livro andamos a ler. Depois das leituras feitas, podemos utilizar este espaço para partilharmos as nossas leituras. Que acham?  Eu começo já...


sexta-feira, 23 de junho de 2017

...Foi naquele ponto certo. Foi na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, no dia 22 de junho.


Entre todos os lugares possíveis, foi naquele ponto certo. Assim se inicia o romance "Galveias" de José Luís Peixoto. O ponto certo, foi a Biblioteca Municipal Ary dos Santos onde passámos um serão dedicado à literatura e às pessoas. Uma noite única e irrepetível. Uma noite de emoções fortes e de surpresas, que vamos guardar para sempre nas nossas memórias e talvez no coração.

O Grupo Coral de Cante Alentejano da Liga dos Amigos da Mina de São Domingos, com sede em Sacavém deu o mote para que nos sentíssemos no Alentejo. Mas antes de cantarem as modas alentejanas, lembraram, com alguma emoção, o homem que deu nome à sala onde nos encontrávamos -  Herberto Goulart. O Hino dos Mineiros voltou a emocionar e cantámo-lo todos em uníssono em homenagem às vítimas da tragédia em Pedrogão Grande.

José Luis Peixoto havia sido convidado para esta sessão especial da Comunidade de Leitores, integrada na programação da comemoração do 1º aniversário da Biblioteca Municipal Ary dos Santos, mas por compromissos já assumidos não pôde aceitar o convite, mas, os leitores foram surpreendidos quando no grande écran surge o escritor a saudar a Comunidade de Leitores.



Galveias. Alguém pergunta onde fica essa terra alentejana e alguém responde que é uma freguesia do concelho de Ponte de Sor. Essa pessoa deu-se a conhecer e entre nós tínhamos uma das irmãs do escritor e a sua mãe Alzira Pulguinhas, senhora extraordinária e de grande riqueza, uma contadora de histórias, a quem certamente, José Luis Peixoto foi buscar o sabor das palavras e os afetos, que nos transmite através da sua obra literária.

Acercámo-nos da conversa  como os galveenses acercavam-se da cratera, avaliavam a forma da coisa sem nome, sentiam-lhe o calor e o cheiro, mas ignoravam-lhe o mistério. A coisa na Biblioteca tinha nome - comunidade de leitores, gentes que se encontram amiúde para falar de livros, para ouvir e contar histórias, para sentir o calor e os afetos. Hoje, a noite foi especial porque debatemos um romance autêntico, que fala da ruralidade portuguesa e como nos disse José Luís Peixoto Se forem a Galveias não se esqueçam de falar com as pessoas que são a maior riqueza. Tivémos connosco essa riqueza de Galveias - a Dona Alzira, mulher de idade sábia e  e uma das suas filhas que nos contaram muitas histórias dessa vila alentejana, das suas gentes e claro, de José Luís Peixoto.

A noite foi pouca para tantas  palavras e emoções,  mas ainda houve tempo para brindarmos com vinho alentejano aos bons momentos da vida e este foi um deles.
Maria Rijo